sábado, 31 de dezembro de 2011

Últimas publicações recebidas em 2011

O Segredo da Terra, n.º 33 - Outono/2011
da Direcção da Revista de Agricultura Biológica
Folha Verde, n.º 72 NOV e DEZ 2011,
do Partido Ecologista "Os Verdes"
Jornal Miradouro, da Administração do mesmo
TVS - Terras do Vale do Sousa, n.º 1296 de 23-12-2011
PROJETO MIL ESCOLAS Boletim Informativo n.º 1, 2, 3 ano lectivo 2010/2011 das Águas do Douro e Paiva
A Direcção dá assim público testemunho e agradece a doação de mais estes exemplares que se vão acrescentar ao nosso acervo bibliográfico disponível no espaço Biblioteca Manuel Afonso da Silva.

sábado, 24 de dezembro de 2011

O castanheiro de Guilhafonso necessita de intervenção...

As associações Transumância e Natureza e Árvores de Portugal, demonstraram pública e recentemente a sua preocupação com os relatos que apontam o majestoso castanheiro de Guilhafonso, na freguesia de Pera do Moço, concelho da Guarda, como estando a sofrer de um acelerado processo de degradação.
Confiantes que as causas para esse fenómeno possam ser revertidas, com a intervenção pronta de técnicos especializadas em fitopatologias relacionadas com esta nobre espécie, as ditas associações apelam à urgente intervenção da Autoridade Florestal Nacional.
De igual modo, uma vez que a árvore está localizada em espaço público, apelam igualmente à intervenção da Junta de Freguesia de Pera do Moço e da Câmara Municipal da Guarda, no sentido de se envolverem diretamente na procura de uma solução para o caso nomeadamente através da cobertura dos custos financeiros que a intervenção na árvore possa exigir.
Estamos confiantes que as ditas instituições públicas saberão estar à altura das suas responsabilidades e zelar pela proteção de um património natural contemporâneo da Era dos Descobrimentos, até porque estamos perante um espécime classificado como sendo de interesse público, desde 27 de outubro de 1971.

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

O sobreiro passa a ser "Árvore Nacional de Portugal"

O sobreiro é desde esta quinta-feira a 'Árvore Nacional de Portugal', depois de aprovado um projecto de resolução na Assembleia da República.O país ganhou mais um símbolo nacional para além da bandeira e do hino.

A iniciativa nasceu de uma petição pública lançada pelas associações Árvores de Portugal e Transumância e Natureza. Agora, a espécie alvo de protecção legal desde 2001 - insuficiente para evitar o abate da árvore devido a uma multiplicidade de excepções - ganha estatuto de símbolo nacional.Noutros casos é ainda o desrespeito e a insensibilidade, veja-se o que está a acontecer junto às Pias dos Mouros...

O sobreiro é uma árvore mediterrânica com mais de 60 milhões de anos, ocupa um quarto da superfície florestal portuguesa e é responsável por 10% das exportações nacionais.

Apesar destes números, o sobreiro também é considerado símbolo de nações como a Alemanha, a Estónia ou os Estados Unidos.

domingo, 18 de dezembro de 2011

...um elefante a entrar na nossa loja de porcelanas ?

Decorre até 19 de Janeiro a Consulta Pública do Estudo de Impacte Ambiental para o projecto "Linha Carrapatelo - Estarreja 3 e Modificações da Linha Carrapatelo - Estarreja 2 /Carrapatelo - Mourisca a 220 KV AIA 2471. O resumo não técnico está acessível em www.apambiente.pt. As Câmaras Municipais e Juntas de freguesia entre outros possuem mesmo os Estudos técnicos do Impacto, para consulta.
Vai ser colocada uma nova linha, em postes mais altos que vai passar em zonas muitos sensíveis, no nosso concelho como o Paiva e Pedras Altas - Real, locais onde existem, neste várias mamoas e um Castro e naquele, porque - classificado pela CE Rede Natura 2000 - como sabemos várias espécies faunísticas, florísticas e geológicas protegidas por Lei.
Se o projeto tiver pernas para andar e para isso deve ser estudado, ainda assim entendemos que nas zonas onde se vai proceder a desmatação para acessos e implantação de estruturas deverão ser adotadas boas práticas para respeitar os valores em presença e não criar obstáculos ao habitat e corredores de circulação e/ de vôo.
Poderemos nós de alguma forma contribuir para que este tipo de trabalhos que as instâncias oficiais costumam propalar de progresso não sejam mais um elefante a entrar na nossa loja de porcelanas ?

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

FELIZ NATAL!




Este ano adotamos o cartão ambientalista de Boas Festas, do nosso amigo e associado Prof. Jorge Paiva, pelo que ele representa de, trabalho, sabedoria e generosidade.

Estes cartões, que ano após ano, têm focado alguns dos grandes problemas do ambiente à escala mundial e local, produzidos apartir de fotos suas merecem da nossa parte um esforço de divulgação pela lição de vida dedicada à saúde da nossa mãe Natureza/"Gaiola Global".

Nesta quadra festiva a Direcção da ADEP deseja a todos os seus associados, colaboradores, patrocinadores e amigos um Feliz Natal e um Bom Ano Novo!

domingo, 11 de dezembro de 2011

Rio Paiva: que vergonha, senhores autarcas!


Em Bairros, Buintes, o Paiva corre lindo lá no fundo, mas em primeiro plano a paisagem é esta vergonha...

sábado, 10 de dezembro de 2011

"Primeiras Artes" outro novo espaço de Museu


A ADEP acaba de apresentar mais um novo espaço de Museu, desta vez dedicado às primeiras artes. Corresponde como consta do catálogo a um esforço para tornar digno e apresentável um conjunto de utensílios das nossas profissões tradicionais, recolhidos ao longo de vinte anos.
Do regulamento de visita constarão normas de base como a abertura franqueada, para os associados no dia da Associação (13 de Agosto); a emissão de livres-trânsito para os doadores; entrada a custo simbólico de 1€ por pessoa, reduzida a 50% no caso de escolas ou instituições e ainda a proibição de obtenção de fotos.

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

sábado, 3 de dezembro de 2011

Calendário para 2012


Foi já apresentado o calendário da ADEP para o ano 2012.
A selecção dos motivos fotográficos teve em vista elucidar datas importantes do nosso passado, apresentando memórias e valores que vão desde o 3.º milénio a.c. aos nossos dias (Mamoa de Carvalho Mau, Marmoiral, marco do Foral em Vilar de Nojões,Vila e Frutuária e Largo do Conde).
Oportunidade para tornar público o nosso agradecimento ao comércio e serviços que, tem tornado possível manter esta iniciativa editorial, ano após ano valoriza a nossa memória, dinamiza a fotografia e sensibiliza todos para a importância da protecção e divulgação do nosso património cultural.