sábado, 19 de setembro de 2020

Assalto à Casa da Boavista

Diz o DCIAP - Departamento Central de Investigação e Ação Penal da Procuradoria Geral da República que a situação denunciada pela ADEP, em inicios de agosto, que identificava várias leiloeiras e sugeria que fosse confrontado o processo de imposto sucessório (património do legado) com o espólio atualmente existente na Casa da Boavista, já foi alvo de avaliação e decisão pelos serviços! Esperamos sinceramente que apesar de não serem para já visíveis os resultados que todos ansiamos, o assunto esteja efectivamente em resolução e os bens sejam localizados e devolvidos... Das sugestões endereçadas ao senhor Presidente da Câmara Municipal em audiência concedida à ADEP em 8 de setembro, ainda não tivemos qualquer informação.
Martinho Rocha

terça-feira, 8 de setembro de 2020

Obras na Vila!

Hoje a ADEP pediu ao senhor Presidente da Câmara que tome todas as diligências para que os trabalhos tenham acompanhamento arqueológico. As obras já decorrem, em local sensivel, n"a Rua" onde se construiu o edificado mais antigo da Vila, que todos conhecemos, e que vem assentando em todo um casco urbanizado, medieval e porventura até mais antigo.

sábado, 5 de setembro de 2020

Cancelada a Feira do século XIX

Cancelada a Feira do século XIX Estamos todos desejando que a edição do próximo ano seja possível, cientes de que este tempo deve servir para repensar o modelo, melhorar os conteúdos e encontrar apoios. O público tem vindo a mostrar, ano após ano, que este tipo de evento é um cartaz turístico incontornável no panorama etnográfico da região!
Antes da pandemia dizíamos no nosso Plano de Atividades 2020! "No que respeita à feira do século XIX, também as orientações que vimos seguindo de valorização de quadros temáticos e teatro de rua são para manter e melhorar e bem assim, iniciamos já em 2019 o alargamento do programa para dois dias. Nesse sentido se avaliará se para a participação de artesãos e figurantes, com as suas artes e saberes deva a ADEP criar previamente as condições para que os utensílios e as oficinas possam contar com a improvisação prévia de espaços abrigados. A ligação da feira do séc. XIX ao espólio etnográfico e ofícios tradicionais rurais dirigida a recrear episódios e momentos marcantes de cenas do quotidiano, que envolverão necessariamente mais atores e mais animação teatral, exige que também o Guarda-roupa esteja ao nível do exigido pelo que necessita de ser dotado dos meios que cuidem da sua conservação e recriação"

quarta-feira, 2 de setembro de 2020

Upa, upa aos Penedos D´El Rei Garcia em Sobrado!

Upa, upa aos Penedos D'El Rei Garcia em Sobrado! Para servir o desporto e/ou a cultura eis que várias associações estão a trabalhar para levar por diante o trilho aos penedos Del´Rei Garcia e outros. Será que como aconteceu no Pejão Velho vão ser as associações a pôr de pé uma estrutura importante para conhecer e divulgar o património concelhio e as autarquias serão apenas meras colaboradoras? Do nosso plano de actividades transcrevemos o que vimos defendendo, de resto nada que Pinho Leal, Strecht de Vasconcelos ou Hermano Saraiva não tenham defendido já. Trata-se afinal de trazer para a ribalta alguma da nossa história; uma recente, de trânsito entre o Douro e Arouca, feito por carreteiros e almocreves e outras vidas que os documentos e as lendas teimam ligar aos nossos penhascos, castros, penedos e palácios, por bruxos reis e guerreiros! - Importa "valorizar locais, criando percursos e rotas, aconselhar geminações e intercâmbios culturais de Castelo de Paiva com cidades e vilas da Europa e do Brasil, com base nos recursos da nossa história e paisagem (da genealogia à geologia e à lenda); Vamos procurar mais parcerias e motivar outros interessados para causas comuns, em iniciativas como no ano passado fizemos avançar, e pretendemos que se repitam, de que é exemplo, “Na Senda de Almansor a caminho de Santiago” que visa dar visibilidade ao caminho de Fátima e Santiago, na região, mas em que este território representa apenas a ligação a esse itinerário entre o sul e o norte do Douro. E o mesmo se diga, do percurso pedestre às origens de Santo António. É que se a geografia nos brindou com uma situação estratégica privilegiada - como vem sendo comprovado pela história e arqueologia - com bons locais para extração de minérios, de fácil acesso à navegação fluvial e de passagem e atravessamento seguro do Douro, locais adequados a práticas marciais e de refúgio; se o nosso território é tão rico, e desconhecido, porque não levar para o terreno sinaléticas e roteiros do que sejam por exemplo dois dignos percursos, “pelas Minas e Fósseis” e “pelos Castros, Grutas e Mamoas, com subida aos penedos d’El-Rei Garcia”?. Conseguimos ver aprovada, pela AMI – Fundação de Assistência Médica Internacional, a candidatura “Nova Vida para o Pejão Velho!” a apoio financeiro europeu no âmbito do programa NoplanetB que nos possibilitou já este ano implantar, com a ajuda dos nossos parceiros, o PR 2 CPV - percurso pedestre, entre as primeiras minas do Pejão e o cavalete do Fojo. Martinho Rocha

quinta-feira, 20 de agosto de 2020

Os caminhos do Pejão Velho

Eis o flyr do PR-2 CPV. Nele se esclarece quem financiou o projecto e que parceiros oficiais teve na sua execução, a todos se agradece! Na verdade ainda ficam a faltar uns tantos sexagenários que meteram ombros à obra e foram para o terreno com carros, ferramentas e vontades e pouparam assim uns bons euros aos cofres da ADEP, mas isso são contas de outro "negócio". Vamos juntar forças para levar esta ideia - acrescentar outra etapa - a próxima do Fojo até à Estação e quem sabe no futuro até à ponte velha de Pedorido? Para descarregar https://drive.google.com/file/d/1kDAHCdSkE5_Y_tiWGptZ5p7egv0ie5aj/view?usp=sharing https://drive.google.com/file/d/1-K-kmqDruwaWnKrZpGFyIek4jhymtiEf/view?usp=sharing

domingo, 16 de agosto de 2020

Boca de Incêndio e eucaliptos na Frutuária!

Bomba relógio na Frutuária / Parque das Tílias.Apesar de já o termos feito sentir por várias vezes ainda não foi colocada uma boca de incêndio na Frutuária... Além disso o local nunca teve tantos eucaliptos como hoje. Sabendo-se que essas árvores geram uma essência que é potencialmente alastradora das chamas, que aliada à situação geográfica do edificado, por si geradora de frequentes correntes de ar, tememos que o incêndio volte a acontecer e se propague àqueles edifícios centenários e emblemáticos, que temos vindo a apresentar e a caracterizar, noutros momentos deste blog.
Difilmente esqueceremos a angustia, o desespero que vivemos nos incêndios de outubro de 2017. Ficaram os elevamos prejuízos materiais e os lamentos por não ter sido possível evitar que as chamas devorassem: as casas, a floresta, as fábricas, os espaços agrícolas, a paisagem. Outro episódio bem recente, no concelho, aniquilou a atividade de várias empresas e gerou algumas centenas de desempregados. Há causas e conclusões mais ou menos próximas que todos os especialistas e o mais comum dos cidadãos apontam acertivamente; e se as politicas florestais, de ordenamento do território e a nossa atitude de cidadãos cooperantes com a sustentabilidade do planeta - nossa mãe estejam longe de entrar na ordem do dia com a necessária inevitabilidade que o nosso mais elementar ato de respirar, mais valerá prevenir... Martinho Rocha

quinta-feira, 13 de agosto de 2020

40 anos da ADEP dedicados à causa do património e ambiente de forma voluntária!

(foto de António da Silva Pereira) Se ja nosso ADEPto, Adira às nossas causas. Apesar das contingências temos dito, que depende de si: - poder beneficiar de uma visita guiada aos nossos espaços, do Parque e de Museu; - inteirar-se das formas de nos ajudar; - inscrever-se como associado; - contribuir com a sua opinião sobre a actividade que desenvolvemos; - manifestar disponibilidade para tarefas e voluntariado e cargos de direcção; - regularizar/actualizar a situação contributiva de associado, se for o caso; - adquirir alguma das nossas publicações; - definir e autorizar formas de contacto e de intercâmbio!