domingo, 30 de dezembro de 2018

Fogo nas Minas do Pejão: Por entre o "Verde arbóreo", o "escuro fumo do progresso" !!! — avista-se do Monte da Virgem - Gaia. Se não resolvemos o problema, peça-se ajuda internacional…





Há momentos em que é necessário com urgência separar o essencial do acessório e agir com determinação e eficácia. A escolha da forma e do método serão nessas situações de crise um mero exercício de clarividência racional.
Se no sítio das escombreiras das antigas Minas do Pejão o carvão continua a arder, passado que foi mais de um ano da sua ignição; se continua a fazer fumo e cheiro perigosos para a saúde pública, e o que se passa no subsolo ninguém sabe explicar, será então já tempo de se encontrar uma solução para acabar com o problema.
Os activos materiais e espirituais que a centenária epopeia carbonífera das Minas do Pejão, legou à região e ao País, haverão de ser suficientemente creditórias para que se peça ajuda internacional para extinguir o incêndio e tratar dos resíduos que possam ainda representar perigosidade para a população.
A evolução e melhoria da actual situação está refém de uma atitude corajosa que se espera seja encontrada por quem é suposto ter a experiência e a responsabilidade de assumir esse gesto, em nome de quem somos!
















escreveu Martinho Rocha
fotos de Mário Oliveira

quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

E esta também vai ser abatida ? Estas em Real, que eram nossas, deixaram de o ser...

Este cedro centenário marginal à mesma 224 será que também querem abatê-lo?

Árvores saudáveis, centenárias são abatidas, sem anúncio, consulta ou estudo de impacte ambiental...
A braços com a edição do calendário anual e que este ano voltou a abordar o tema das árvores, somos surpreendidos com o abate liminar de dezenas de eucaliptos de grande porte que marginavam a estrada, 224  Paiva -Arouca.
Surpreende que esta iniciativa aconteça sem embargos e a grande velocidade, quando há dificuldades para abater árvores que ameaçam casas. E que dizer do ordenamento florestal da nossa floresta perante a assustadora regeneração espontânea de eucaliptos depois dos incêndios?
A nossa flora é património vivo, que a tecnologia ainda não substitui, e continua barbaramente a ser assassinada!
























escreveu, Martinho Rocha
fotos de João Vieira

sábado, 22 de dezembro de 2018

Calendário ADEP 2019




Foi já lançado o calendário da ADEP para 2019, que uma vez mais se deve ao patrocínio dos nossos amigos, ligados ao pequeno comércio e serviços.
A 22.ª edição, no formato de parede, repete a temática das árvores, colocando o foco nas Tílias do Largo do Conde, que foram inicialmente plantadas às ordens do presidente (republicano) Alfredo Augusto Ribeiro. Foram ainda este ano editados alguns motivos exclusivos dedicados a temas do património e da etnografia.
Não escaparam nas edições anteriores outros temas bem caros  ao nosso estatuto e actividade, seja o património construído, sejam os nossos produtos, as nossas gentes, paisagens e afazeres com o vinho e o carvão, motivos de atração, de recreio e devoção, onde foram “sonhados e desenhados”, percursos para mostrar e descobrir : o rio Paiva e o rafting, a Ilha dos Amores e as suas lendas, as origens de Santo António, os caminhos de Fátima e Santiago, etc., etc…

Seja ADEPto das nossas causas, ajude-nos a valorizar o nosso património e memória, cultura e ambiente!

quarta-feira, 19 de dezembro de 2018

E se nos visitar nesta temporada, oferecemos um calendário, ou um carvalho para plantar! (*)

ADEP - Castelo de Paiva: no Ano Europeu do Património Cultural, estamos com as portas abertas!







Este ano, porque aprovamos junto do IEFP – Instituto de Emprego e da Formação Profissional, um programa de estágio profissional, a que se candidatou um jovem paivense licenciado no Instituto Superior Profissional de Gestão de PME's estamos a realizar trabalho que faculta a abertura dos nossos espaços e valências.  

Visite-os, compareça nas nossas actividades! 



Renovamos o convite que já fizemos. Os nossos associados e toda a população tem até final ano e até fevereiro do próximo a oportunidade para:

 - poder beneficiar de uma visita guiada aos nossos espaços, do Parque e de Museu;
 - conhecer e contribuir com a sua opinião sobre a actividade que desenvolvemos;
 - manifestar disponibilidade para tarefas de voluntariado e cargos de direcção;
 - regularizar/actualizar a situação contributiva de associado, se for o caso;
 - adquirir alguma das nossas publicações;
 - definir e autorizar formas de contacto e de intercâmbio.

A nossa sede encontra-se aberta no horário de 2.ª a 6.ª feira das 09H00 às 12H30 e das 13H30 às 17H00.
Uma forma de contacto: adeppaiva@gmail.com
(*) limitado ao stock existente.

Na oportunidade endereçamos Votos de Um Feliz Natal e Boas Festas!




segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Coisas da nossa terra que pode oferecer!


ADEP
As nossas - as que ainda não esgotaram - estão disponíveis na sua sede, à Frutuária, na Confeitaria Tropicália, no Hotel S. Pedro, na Tabacaria Mil e no Intermarché.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2018

Pela rota pedestre nas origens de Santo António, em Paiva!


As armas, originais dos Bulhões, adotadas pela cidade de Pádua, em homenagem a Santo António, estão há mais de uma dúzia de anos fragilmente amparadas por uma escora enferrujada da construção civil.

A competência da guia de serviço promete outras visitas

Ontem 9 de dezembro de 2018, em parceria com o movimento Cidadãos dos Mundo, visitamos a Casa, jardins e fontanário (oriundo do Mosteiro Pombeiro) da Casa/Quinta da Boavista e agradecemos ao sr Viriato de Almeida seu actual usufrutuário a sua disponibilidade como cicerone, também o cuidado nas limpezas prévias aos locais de passagem e à preocupação em nos transmitir um sem número de informações interessantes sobre a casa (e problemas de conservação e futuro do legado), vida e família dos Condes de Castelo de Paiva. A caminhada que começou no Parque das Tílias e passou por todos os locais da rota pedestre das origens de Santo António, foi desenhada para que os participantes pudessem levar o seu cão, apenas incorporou um, mas teve um grupo razoável de crianças e jovens! Todos os paivenses deveriam visitar a Casa / Quinta da Boavista, para que conheçam o estado em que se encontra um património imenso, e infíndo também de memória  - que é seu -, e que ao conhecermos nos eleva a alma, mas que ao mesmo tempo a deixa a sangrar, tal é inércia em que se encontra, passados que foram 20 anos do falecimento de D. José de Arrochela Pinto de Lancastre Ferrão,  último Conde que teve por vontade fazer legado aos paivenses (Município).
Castelo de Paiva pode e os paivense merecem outro tratamento e uso deste património!

mais informações sobre o tema podem ser acedidas no separador Santo António...




























escreveu Martinho Rocha