quarta-feira, 27 de julho de 2011

GRANDE ESPADELADA DE LINHO NO PARQUE DAS TÍLIAS


No próximo dia 6 de Agosto, sábado fim de tarde, vai ter lugar no Parque das Tílias uma Tascada(*) ou Espadelada de Linho.

Pretende-se com esta iniciativa, contribuir para a divulgação das nossas tradições seculares. Este tipo de evento não acontece já nas nossas Quintas por ter caído em desuso o cultivo do linho. Também na ADEP a última espadelada teve lugar no Parque já quando da electrificação do mesmo.
É oportuno lembrar aos simpatizantes dos audiovisuais que o evento se traduz numa rara oportunidade de gravar som e imagem de tarefas da nossa tradição rural, desempenhadas com a valiosa sabedoria dos mais velhos onde também não faltarão jovens aprendizes.
Quem pretender associar-se à iniciativa deve inscrever-se pelo tef. 255 689 486, prevendo o programa jantar e baile como antigamente.
(*)"... A tascada consistia em retirar do linho (depois de) moído as suas impurezas, colocando-o ... sobre o bordo dum cortiço e batendo-lhe ... com uma espadana ou espadela..." in "Manual do cultivo e confecção do linho" de Domingos Quintas Moreira (Edição ADEP e Parque Biológico de Gaia)

sábado, 23 de julho de 2011

Hoje do Parque !


A Estrela recebeu sapatos novos. Isto aconteceu hoje no Parque das Tílias!

terça-feira, 19 de julho de 2011

A tradição da malha do centeio


Amanhã pelas 14 horas no Parque das Tílias e Domingo no Largo da Feira de Cabeçais a ADEP vai malhar centeio.
Como era a tradição da malha do centeio na nossa terra ?
Na nossa terra, a tarefa era realizada pelo ajuntamento dos vizinhos e deveria ter lugar em até final de Julho. Em Agosto seria já para desgosto. Era então chegado o dia de separar o grão do centeio da palha, ou seja fazer a malhada. Primeiro batendo com as espigas no carro de bois, depois batendo naquelas que ainda tivessem grão com o mangual, coisa que obedecia a um ritmo sincronizado e executado a preceito pelos experientes malhadores.
Era de tradição, se a eira fosse em terra, barrar a eira toda com uma mistura de bosta de vaca e água, para que o centeio não se enterrasse na terra, quando chegasse a hora de retirar a palha e de varrer o centeio para o monte, logo que entrassem em acção as vassouras de giesta.
Depois de limpo, isto é, depois de levantado ou de passado no ventilador, o centeio é medido em alqueires e levado para as tulhas, que eram umas enormes caixas de madeira feitas com tábuas, bem grossas de castanheiro, que é para os ratos não as furarem e o comerem, onde permanecerá até ao dia em que há-de ser levado pelo moleiro, para ser transformado em farinha, ou para ser lançado novamente à terra e dar origem a uma nova seara.
Finda a malhada os malhadores e demais ajudantes iam almoçar a merecida cabra ou cabrito que o dono tanto tinha apregoado.

sábado, 16 de julho de 2011

"O Segredo da Terra"



Foram recebidos para a nossa Biblioteca os n.ºs 28, 29, 30 e 31 da Revista ”O Segredo da Terra” – publicação semestral da responsabilidade da "Edibio, Edições Limitada", por oferta pessoal do seu Director o nosso amigo e conterrâneo Eng.º António Strecht.


Trata-se de uma publicação que aborda temas, da nossa agricultura biológica de âmbito nacional, legislação e estudos, desenvolvidos pelos seus muitos colaboradores, demonstrando o elevado valor do nosso património vegetal e ensinando práticas de sustentabilidade.


Um trabalho que aponta caminhos e apresenta atitudes e saberes para os tempos difíceis que atravessamos. As variedades regionais, as potencialidades do nosso clima, as sementes, os métodos de viveiro e de combate às pragas são temas profusamente tratados.


Como desejamos conhecer e conservar no Parque das Tílias as variedades regionais, de maçã, cereja e videira, temos desenvolvido algum trabalho de campo recorrendo à recolha de saberes e plantas, efectuando enxertos e plantações e vemos assim nesta publicação um auxiliar muito valioso. O nosso muito obrigado.

domingo, 10 de julho de 2011

Faleceu Augusto Gomes dos Santos

O Sr. Comendador Augusto Gomes dos Santos, Fundador da Federação do Folclore Português e seu Presidente Honorário, faleceu no sábado dia 9. O seu funeral realiza-se amanhã (segunda feira - dia 11) pelas 10 horas, da sede da Federação (onde esteve em câmara ardente no dia de hoje), donde partirá em cortejo fúnebre para a Igreja, onde se celebrará Missa de Corpo Presente, a que se seguirá o enterro no cemitério local.
Augusto Gomes dos Santos nasceu a 23 de Julho de 1924 na freguesia de Arcozelo, no Concelho de Vila Nova de Gaia e dedicou mais de 40 anos à divulgação do folclore, da etnografia e das tradições populares Portuguesas.
Teve um papel fundamental no apoio aos Grupos folclore, (a convite da ADEP esteve duas vezes em Castelo de Paiva) tendo com eles iniciado um trabalho de formação e orientação para a pesquisa e recolha de folclore e etnografia, de modo a melhorar a autenticidade das suas representações, nomeadamente com a realização de Encontros, Colóquios e Jornadas de Folclore.
Sentidas condolências à sua Família parental e do Folclore.

sábado, 9 de julho de 2011

Vamos dar à peanha ?...


Mais um engenho vai integrar o nosso "museu etnográfico".
Desta vez e por iniciativa de Francisco Vieira da Silva de Entre-os-Rios, a ADEP vai receber um torno artesanal de pedal, que foi por si construído como réplica de torno usado pela família na sua casa do Tecelão, Sardoura, antes da chegada da electricidade.
Um passo mais ou então uma oportunidade para "dar à peanha" pelo que é preciso ainda fazer nesta terra por um repositório digno para os nossos valores culturais; que temos defendido para a Frutuária e Parque das Tílias, agora de certeza com mais dificuldade, uma vez que os anos das vacas gordas já passaram...
O nosso muito obrigado a este doador, também por acreditar!

domingo, 3 de julho de 2011

- São romãs, senhores, são romãs!



Conta-se que um dia ilustres representantes autárquicos não terão conseguido dizer a um visitante qual o fruto que decora o brazão do nosso concelho... E não nos admirará muito, pois o fruto, hoje pouco, se vê.
E, afinal, é bem distinto. É a romã, senhores !
Tívessemos já plantado, como já temos defendido, umas tantas romanzeiras em alguma das nossas ruas ou praças e esse símbolo estaria de certeza mais divulgado. Mas ainda assim a ignorância é digna de registo.
É um símbolo de fertilidade e tem propriedades medicinais várias.
Nós também não sabemos se a escolha se ficou a dever à abundância destas árvores no concelho, à influência judaica ou árabe, se à tradição católica ou romana.
Sobre a temática dos nossos frutos, castas e qualidades havemos de falar.




sábado, 2 de julho de 2011

Na Feira do Vinho, já se ripou linho!


É verdade, na Feira deste ano já se ripou linho!
Desta vez participou o Rancho de São Martinho e o linho veio da Quinta de Picotas, do sr. Luis Gouveia Coelho.
Amanhã vai haver mais, será ripado linho do Parque das Tílias.
"Dá-se o nome de ripagem à operação que consiste na separação da baganha do seu caule, fazendo passar as mancheias do linho pelos dentes do ripo"
in "Manuel do cultivo e confecção do linho" de Domingos Quintas Moreira, ed. ADEP e Parque Biológico de Gaia 2009 - 5,00Euros